Parece que hoje em dia só se fala em selfies!
Segundo o jornal britânico The Telegraph, um milhão de selfies são tiradas diariamente.
Basta olhar numa das redes sociais que não vai levar muito tempo para encontrar alguém com uma sobrancelha levantada, os lábios abertos, olhando diretamente para a câmera.
Somente no Instagram, há mais de 312 milhões de fotos com a hashtag #selfie, e 328 milhões com #me.

selfies
Número de fotos postadas no Instagram com a #selfie até o dia 15 de Agosto 2017.

Sem mencionar a quantidade enorme de app para selfies, selfie editor, filtros e etc, disponíveis para dar a sua selfie aquele toque de glamour. Selfies é um grande negócio hoje em dia!

Como Tudo Começou 

Auto-retratos ou self-portraits são tão remotos quanto o Egito antigo, e muitos artistas renomados, incluindo Rembrandt, Van Gogh, Frida Kahlo e Andy Warhol, já pintaram a si mesmo. Porém, o primeiro auto-retrato feito com uma câmara fotográfica, ou seja, uma “selfie”, foi tirada em 1839 por Robert Cornelius, na Filadélfia.
Mas foi só em 2010, quando a Apple lançou o iPhone 4 com uma câmera frontal que “A idade de ouro da selfie” nasceu. Na verdade, “selfie” tornou-se tão popular que foi declarada a “Palavra do Ano 2013” pelo Dicionário Oxford, e logo em seguida, Twitter declarou 2014 como “O ano da selfie”.
As pessoas tornaram-se tão obcecadas com selfies que em 2015 morreram mais pessoas tirando selfies do que em ataques de tubarões. Só em 2016, quase 100 mortes foram atribuídas a selfies.

Selfies
Lista com o número de pessoas mortas ou injuriadas por causa de selfies em 2016 de acordo com Wikipidea.

Selfiecentrismo, Narcissismo and Empoderamento

Enquanto muitas pessoas adoram selfies, outras odeiam.
Alguns acreditam que esses auto-retratos tornaram-se o verdadeiro símbolo da era narcisista, uma época em que se preocupam mais com nossa aparência e como nos apresentamos na frente da câmera do que quem realmente somos.
De acordo com o escritor norte-americano John Paul Titlow, os usuários de selfies “estão buscando algum tipo de aprovação das pessoas à sua volta e da comunidade em geral”, o que muitas vezes sinaliza falta de auto-confiança.
Mas selfie também pode ser considerada uma ferramenta de empoderamento. Não só porque você está em controle completo da imagem e capaz de projetar a melhor versão de si mesmo, mas também por causa da crescente tendência de “valorizar a própria beleza” e fotos “autênticas”, onde as falhas ou imperfeições da pessoas são orgulhosamente exibidas, o que de fato pode ajuda a auto-aceitação.
Algumas pessoas tiram selfies apenas como uma maneira de avaliar-se, outras para conferir o “look”, ou até mesmo para acompanhar seu progresso na academia.
Há também um aspecto sociológico e antropológico, um registro da aparência da pessoa em um determinado tempo específico.
Não importa por que você está tirando selfies, com a proliferação de sites e redes sociais estas imagens podem agora ser compartilhados em todo o mundo, permitindo que suas imagens, beleza e criatividade possam ir além do seu círculo de amigos e familiares.

Me, My Selfies and I

Se você me segue no Instagram ou Facebook, já percebeu que eu não sou muito de selfies.
Não sou um “viciado” em slefie, e tenho que admitir que quando vejo a timeline de alguém transbordando de selfies, penso imediatamente essa pessoa é muito superficial.
Para não mencionar que selfies podem ser um enorme desperdício de tempo. Diz-se que a “selfie queen”, Kim Kardashian, tirou 6000 selfies em quatro dias em uma viagem pro México. Isso equivale a mais de um selfie por minuto! Me pergunto se ela viu alguma coisa naquela viagem além do seu próprio rosto bonito… OMG.
Claro que às vezes tiro selfies também. Geralmente quando me sinto super bem, extremamente feliz, ou quando aconteceu algo bom e quero compartilhar com meus amigos, familiares e seguidores.
Além do mais, ver um selfie onde a pessoa está obviamente feliz e se divertindo, é pode servir como fonte de inspiração.

Selfies Como um Veículo de Comunicação 

Durante minha última viagem à Ásia (dezembro 2016 a maio de 2017) tirei várias selfies.
Não porque de repente me sentia incrível o tempo inteiro ou porque queria manter as pessoas atualizadas.
Não, essas selfies foram utilizadas como veículos de comunicação. Como solo traveler, passei muito tempo sozinho e, às vezes, precisava de uma “desculpa” para falar com os habitantes locais.
Decidi me comunicar com pelo menos cinco pessoas em cada país que visitei durante esses cinco meses. Queria aprender mais sobre suas culturas e experiências, pegar dicas preciosas, e ainda esperava fazer novos amigos.

Varanasi Selfies
Esse home que conhecei em Varanasi, Índia, vive com um “Shadu” a mais de 45 anos.

Selfie with Locals

A ideia surgiu na Tailândia – em Chatuchak Park, um dos parques públicos mais antigos em Bangkok, que é muito popular entre turistas e locais. Estava relaxando na grama quando um grupo de adolescentes tailandêses chegou e começou a tirar selfies. Eles estavam todos vestidos com roupas ocidentais (calças e jaquetas jeans, camisetas com logotipos NYC…). Foi engraçado observar como eles estavam tirando centenas de selfies sem parar…

Saí do parque com a sensação que devia ter tirado uma foto com eles. Uma selfie, é claro.

Mais tarde, no meu vôo para Cingapura, decidi criar um “movimento”, chamado Selfies with locals.
A primeira tirei no metrô de Cingapura. Tenho que admitir que estava muito tímido e envergonhado, e que foi bem estranho. Mas os cingapurianos que conheci foram muito simpáticos, e terminei conversando com eles durante toda minha corrida do metrô.

Selfies
Com cingapuriano que conheci e que me disse que eu deveria ir ao Jardim Botânico. Claro que segui o conselho dele, e adorei.

Depois da grande recepção para as minhas primeiras selfies, fiquei muito mais relaxado e bastante desavergonhado em aproximar-me das pessoas locais e pedir para tirar uma selfie.

selfies
Sempre tive vontade de conhecer uma dessas “mulheres girafas”, e quando conheci não perdi a oportunidade de tirar uma selfie.

Decidi abordar uma ampla gama de pessoas, de diferentes idades, sexos, idades, e classes sociais, pois  queria que as selfies – e meus amigos também- fossem o mais diversificado possível.

Selfies
Selfie com uma das poucas mulheres com rosto tatuado em Myanmar.

Alguns obstáculos a superar a fim de manter a conversa e a amizade durarem foram: a barreira da língua, a falta de tempo e, claro, a “química”.

Mas conheci algumas pessoas incríveis, aprendi fatos interessantíssimos sobre suas culturas, e ainda me diverti bastante.

selfies
Com uma vendedora de rua em Bagan, Myanmar. Ela passou thanaka no meu rosto, me explicou sobre o único templo hindu da cidade, e se recusou a receber minha gorjeta. Para completar ainda queria me arrumar uma esposa…

Mas a maior recompensa foi os sorrisos…
Especialmente das pessoas idosas e, daquelas que não estavam muito familiarizadas com smartphones e tecnologia. Elas não sabiam como posar, e até se surpreendiam ao verem suas imagens e, por isso,  revelei sorrisos completamente espontâneos e genuínos.
Elas sorriram com a alma…
E mesmo que não pudemos desenvolver um diálogo por não falarmos a mesma língua, senti uma verdadeira conexão e júbilo ao ver seus sorrisos…

selfies
Me diverti muito com essa senhora tirando selfies nas ruas de Bangkok, Tailândia.

É uma imensa satisfação rever estas fotos das muitas pessoas diferentes que fizeram parte da minha jornada, e poder compartilhá-las com vocês.

Selfies
Esse garoto, Javi, o conheci quando ia ao “Templo dos Macacos” em Jaipur, Ínida. Não queria que ele me acompanhasse pois o mesmo queria dinheiro, mas a verdade é que estamos curtindo muito a companhia um do outro.

Então, na próxima vez que você viajar, conheça alguns moradores locais, tire fotos com eles, e compartilhe conosco esses momentos usando a hashtag #selfieswithlocals. E se você precisar de ajuda, aqui estão algumas dicas para tirar melhores selfies…

Como tirar a selfie perfeita

  • Olhe para a câmera do telefone, e não para o botão que está pressionando… Usar o timer da câmera pode ajudar a evitar que isso aconteça.
  • Para selfies em locais fechados, use luz natural indireta para iluminar seu rosto.
  • Experimente vários ângulos com a câmera até que você esteja satisfeito (a).
  • Para selfies ao ar livre, se o sol estiver muito forte, às vezes funciona melhor colocar o sol atrás da sua cabeça.
  • Para selfies com comidas, experimente segurá-la na sua frente em vez de comê-la.
  • Para selfies no espelho, verifique se não há uma luz diretamente atrás de você, ache o melhor ângulo do seu corpo, adicione curvas, e mantenha o fone afastado do corpo.
  •  Quando deitado (a), eleve sua cabeça (você pode usar um travesseiro) e segure o telefone com uma mão.
  • Esteja sempre atento (a) com a composição da sua foto.
  •  Use uma expressão natural.
  • E o mais importante, não arrisque sua vida por causa de uma selfie.

Boa viagem 😉

Selfies tiradas com: Go Pro Hero 5, Canon EOS 1300 e Iphone 6 64Gb.

Assista o vídeo com todos as selfies que tirei, e o ponto alto de cada país que visitei.

“Selfie Kit” by Amazon

Você também gosta de selfies? Aqui algumas das selfies que tirei pelo mundo na Ásia, e algumas dicas de como tirar a selfie perfeita.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *